QUADROS, COMO ORGANIZÁ-LOS NAS PAREDES.

“Os quadros são janelas abertas para o outro mundo deste mundo. ” (Mario Quintana)

 

Na decoração de interiores, um dos itens que sempre lembramos é da utilização de quadros. Eles ajudam a “vestir” e dar personalidade aos ambientes e, quando bem utilizados, podem transformar e dar vida a uma decoração mais neutra.

Variando entre as tradicionais pinturas ou telas pintadas à mão, chegando às modernas técnicas de gravuras, fotografias, pôsteres, além do grafitismo, o importante é escolher a forma que melhor se harmonize ao ambiente e ao estilo da pessoa.

A composição dos quadros na parede vai depender de alguns fatores, como a cor ou o revestimento da superfície a ser utilizada, as dimensões dessa parede, a quantidade e os temas dos quadros a serem dispostos, se existem móveis ou outros objetos decorativos próximos, entre outros.

 

Paredes com cores neutras e únicas darão destaque ao quadro e facilitam a composição. Paredes com texturas ou cores escuras e coloridas, serão melhor harmonizadas com temas monocromáticos ou fotografias em preto e branco.

A proporção de tamanho do quadro com a parede pede atenção. Paredes pequenas harmonizam com quadros menores. Paredes maiores possibilitam a utilização de quadros grandes ou de composições com vários quadros.

Na utilização de vários quadros formando um aglomerado, deve-se escolher o elemento mais importante no conjunto para centralizar a composição. O objetivo é formar um ponto focal que atraia a atenção do observador. O equilíbrio entre os planos preenchidos por esses quadros e os espaços vazios também deve ser observado.

Quadros dispostos sobre sofás e cabeceiras de camas devem obedecer uma distância mínima do móvel de aproximadamente 30 cm. Em corredores e escadas o ideal é estarem a uma altura média de 1,60 m do alinhamento do piso, no caso das escadas, seguindo o alinhamento dos degraus. Isto dará maior harmonia e não atrapalhará a funcionalidade dos ambientes.

 

Para a escolha dos temas, a regra é agradar a preferência do observador e se harmonizar com o tipo do ambiente, sejam eles halls, salas, dormitórios, corredores, lavabos, escritórios, etc.

 

Na utilização e distribuição dos quadros não existem regras rígidas, apenas fórmulas básicas e dicas que ajudam e valorizam o efeito esperado na composição como um todo. A criatividade e a sensibilidade serão sempre as melhores orientadoras.

 

Arquiteta Ariela de Araujo Studio MundoArq

+55 42 999-2828-58

Irati | Paraná

Compartilhe:Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Pin on Pinterest0Share on Facebook0

Artigo escrito em 26/04/17 por:
Ariela de Araujo
Arquiteta e Urbanista graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) em 2002, com vasta experiência na elaboração de projetos arquitetônicos e de design de interiores, no acompanhamento de obras em Curitiba/PR, Irati/PR, Campo Largo/PR, Colombo/PR e Bombinhas/SC, e na gestão de custos e orçamentos, planejamento, controle e gerenciamento de obras. Especialista em Construções de Obras Públicas pela UFPR e em Administração Pública pela Faculdade Padre Bagozzi, Técnica em Transações Imobiliárias. Coordenadora da elaboração do Plano Diretor de Urbanismo do Município de Irati/PR (2004). Foi rotariana no Rotary Club de Irati/PR (2004).

Comentários

\
designed by